O escanção português Rodolfo Tristão, que já partilhou dicas connosco aqui no blog ,  vem hoje nos dar algumas orientações de como harmonizar vinhos com sobremesas capaz de impressionar os amigos na próxima recepção em casa.

Rodolfo nos ensina que os vinhos generosos são óptimos parceiros das sobremesas, sendo estes uma aposta acertada e que resultam numa combinação sofisticada. Destarte, devemos fazer uma selecção de vinhos generosos como: vinhos da Madeira, Moscatel de Setúbal e Carcavelos, bem como os vinhos do Porto (os data de colheita, os datados (10, 20 ou 30 anos), Tawnies, Rubies, LBV´s  e Reservas Ruby) para as diversas possibilidades de harmonizações que nos surgem.

Todavia, há que se atentar para o facto de que para todos aqueles tipos de vinho a temperatura tem um papel crucial no sucesso e na riqueza da combinação, de modo que o vinho deverá ser servido a uma temperatura de 10°/12°, de modo que possamos perceber menos o álcool e a doçura ser camuflada pela temperatura mais baixa.

Passemos para uma lista que nos facilita a vida na hora de nos aventurarmos nas harmonizações. Pois bem, para sobremesas à base de…

  • Chocolate e cacau: os vinhos do Porto LBV e Ruby são óptimas opções. Estes vinhos apresentam aromas a frutos vermelhos, sabores jovens e envolventes que facilitam esta combinação;
  • Doces à base de ovos: para sobremesas como pão de ló e pudins de ovos,  os vinhos da Madeira 5 anos com aromas mais intensos, a frutos secos e caramelo, podem ser agradáveis, visto que contêm também alguma acidez devido ao terroir (proximidade com o mar);
  • Doçaria Conventual ou doçaria regional: devida a elevada quantidade de açúcar nas suas composições, não são fáceis as escolhas de vinhos para acompanhá-los, porém podemos escolher um vinho do Porto com indicação de idade, 10anos, com aromas a frutos secos e caramelo, mas que ainda têm alguma juventude. O vinho da Madeira, por sua vez, poderá ser, igualmente, uma escolha correcta devido à sua frescura característica. Devemos dar preferência aos vinhos provenientes de regiões frescas, próximas do mar, como Colares, Bairrada e Açores. *** Nota: Os espumantes, apesar de não serem vinhos generosos, podem ser a combinação mais fácil, devido à frescura (que combate a doçura) e ao gás que apresentam;
  • Cheesecakes e gelados: para acompanhar estas sobremesas são aconselhados Moscatéis ou vinho do Porto Ruby, jovens, ou ainda poderá optar por vinhos brancos jovens e frescos que suavizam a intensidade da doçura e refrescam o palato;
  • Cheesecakes de frutos vermelhos: o vinho do Porto Ruby é uma boa opção, visto que as intensidades aromáticas e gustativas são semelhantes;
  • Cheesecakes de manga ou frutos secos: o Moscatel de Setúbal é uma saborosa escolha. Poderá ainda harmonizar estas sobremesas com vinhos rosés, frutados e frescos, de anos recentes, já que a frescura e o baixo teor de açúcar refrescam o palato e dão uma sensação de equilíbrio;
  • Gelados e frutas: o Moscatel de Setúbal, devido à sua exuberância aromática e gustativa, é uma escolha apropriada para combinar com este tipo de sobremesas, oferecendo uma sensação exótica à combinação;
  • Queijos: combinar queijos apenas com vinhos generosos pode trazer experiências bastante agradáveis. Os queijos de pasta mole casam bem com os vinhos do Porto jovens, Rubies, ou vinho da Madeira. Os queijos de pasta dura, por sua vez, se adaptarão melhor aos vinho do Porto Tawnies e ao vinho de Carcavelos e por fim,
  • Café: os cafés, por serem tomados no fim da refeição, podem ser combinados com vinhos generosos. Para cafés mais intensos de sabor, escolha vinhos do Porto LBV ou Rubies, já para os cafés menos intensos (com mais arábica do que robusta), os vinhos da Madeira e Tawnies são escolhas oportunas. Se preferir cafés descafeinados, lance mão de um Moscatel para acompanhá-lo.

Esperamos que as dicas sejam úteis e que vos auxilie na hora de organizar a próxima recepção.

Bons vinhos!

Assinatura Natália