As informações ao alcance dos consumidores a cerca dos vinhos são esclarecedoras e se alguns ainda pensam que o vinho verde é efectivamente verde, estas terminam por elucidar todas as dúvidas. Na verdade, o vinho verde é um vinho produzido na região Demarcada dos Vinhos Verdes, podendo ser branco, rosé ou mesmo tinto.

Estes vinhos frescos são bastante populares em Portugal e caiu no gosto dos consumidores estrangeiros, de modo que se nota uma crescente demanda por estes no mercado exterior.

Castas

As castas mais emblemáticas da região são a Alvarinho e a Loureiro. A primeira, uma casta nacional, é reputada como a casta nobre da região e a partir dela produz-se excelentes vinhos que apresentam elegantes aromas de lima, bem como algumas notas tropicais e minerais. Já a segunda, também muito estimada na região, passou a ganhar os holofotes após a reestruturação vitícola da região minhota.

Outras castas de destaque da região são: Avesso, Azal, Arinto e Trajadura; já nas tintas – Vinhão, Espadeiro e Borraçal.

A Região Demarcada

A Região Demarcada dos Vinhos Verdes estende-se por todo o noroeste do país, ocupando uma área em torno de 21 mil hectares. Esta região encontra-se subdividida em nove sub-regiões, são elas: nas brancas – Amarante, Ave, Baião, Basto, Cávado, Lima, Monção/Melgaço, Paiva e Sousa.

Os vinhos

Os vinhos da Região Demarcada dos Vinhos Verdes são vinhos elegantes, estruturados, frescos e de acidez acentuada, expressando assim o clima frio, temperado e de influência marítima da região. No que toca à expressão aromática e gustativa, o destaque vai para as notas frutadas e florais, que caracterizam e  distinguem o Vinho Verde.

logo vinho verde

Assinatura Natália