O comércio de vinho é um mercado secular, mas a revolução digital tem lhe apresentado novos desafios, de modo que a distribuição e comercialização de vinhos tem vindo cada vez mais a se aproximar do mundo digital, não se limitando às prateleiras das lojas especializadas e de hipermercados. Hoje em dia, já é possível fazer a compra on-line enquanto vamos a caminho de casa ou de uma cidade que pretendemos visitar. Uma praticidade que veio para ficar e que nos permite ter contacto com novos produtos.

Esse novo contexto traz uma abordagem mais simples e descomplicada. As informações sobre os produtos estão disponíveis à todos e podem ser comparadas com a dos seus congéneres, facilitando assim o momento da compra (sem pressa, sem constrangimentos, cada um no seu ritmo… afinal há um mundo fascinante a ser explorado). Uma grande ajuda na hora de escolher os vinhos diante da vasta oferta de produtos são os motores de pesquisa dos sites de e-commerce que costumam fazer uma pré-triagem e agrupar os vinhos por regiões, produtores, tipo, estilo e progressivamente por sugestões de wine bloggers que apresentam uma linguagem menos técnica e mais próxima dos consumidores.

dsc_0406

Na óptica do consumidor, o digital auxilia a descobrir o vinho que mais gosta, a escolher o produto ideal para cada ocasião e se aventurar nas diversas experiências que o mundo dos vinhos tem a oferecer ainda que este não seja um grande entusiasta da bebida.

dsc_0504

Assim, podemos dizer que a internet apresenta um novo meio de comunicar e transaccionar a bebida de Baco. A sua grande vantagem é a de disponibilizar e democratizar a informação, reeducar o consumidor, propondo um consumo saudável e permitindo ao sector apresentar os avanços qualitativos que o mercado dos vinhos alcançou nas últimas décadas. É neste novo ambiente que a cultura do vinho se reinventa e se aproxima de um maior contigente de pessoas, um público além fronteiras.

 

Assinatura Natália