É comum encontrarmos nas cartas de vinhos a menção “Late Harvest”. Mas afinal o que ela significa?

Como a tradução ao pé da letra nos indica, trata-se de um vinho elaborado com uvas de colheita tardia. Num primeiro olhar este termo não parece apontar grandes características, porém, se observarmos mais atentamente, vamos perceber que este é empregue para descrever vinhos doces (ou vinhos de sobremesa) elaborados a partir de uvas de uma colheita tardia. No seu processo de elaboração, as uvas são colhidas mais tarde do que o período normal de vindima, de modo que sejam afetadas pela Botrytis cinérea, um tipo de fungo que reveste a película das uvas, ao perfurar a casca do fruto permite que este desidrate e concentre os seus sabores. Assim, essas uvas ‘supermaturadas’ encontram-se naturalmente desidratadas e com uma maior concentração de açúcar, dando origem a um vinho com um maior teor de açúcar.

186063570_b-2

Habitualmente, são vinhos doces (não enjoativos devido a sua acentuada acidez), elegantes e ricos em aromas e sabores. Costumam agradar especialmente o paladar feminino. Relativamente à harmonização, estes revelam ser uma opção versátil, combinando com uma diversidade de pratos, queijos azuis e sobremesas. Os vinhos de colheita tardia devem ser servidos a uma temperatura de 7°C e em pequenas doses.

late-harvest

Uma experiência rica, não deixem de experimentá-los!

Assinatura Natália