A vinícola José Maria da Fonseca, uma das casas mais emblemática da região da Península de Setúbal, afamada pelos seus vinhos de mesa e moscatéis, foi fundada em 1834. O seu fundador que lhe empresta o nome, um visionário para época, desde os primórdios primou pela qualidade, pelo que a empresa foi galardoada inúmeras vezes pela qualidade dos vinhos que elabora. Actualmente é a mais antiga casa produtora de vinho de mesa e de Moscatel de Setúbal em Portugal.

Essa é uma empresa 100% familiar, gerida actualmente pelas 6º e 7º gerações e uma das líderes na produção e comercialização de vinhos de mesa e generosos em Portugal. Na sua já longa história, passaram de uma região e hoje se fazem presentes em diversas regiões vitivinícolas do país, dispondo de quase 700ha de vinhas. A sua produção destina-se maioritariamente às exportações, sendo comercializadas no mercado nacional apenas 20% daquilo que produz. Os seus vinhos, que representam Portugal além-fronteiras, estão presentes em mais de 70 países (sendo os países Nórdicos, Alemanha e Brasil os seus principais mercados). Desta forma, pautados pela qualidade, a José Maria da Fonseca tem contribuído na divulgação e no prestígio dos vinhos nacionais.

banner_ct_novidades

A mensagem com que saímos ao conhecer aprofundadamente a trajectória desta casa é que assumem o papel de verdadeiros guardiões de um tesouro, mas que são sensíveis para perceberem que o mercado está em constante evolução e que é preciso saber se adaptar e evoluir com ele. O equilíbrio entre história e modernidade é bem conseguido pela José Maria da Fonseca. Esta família consegue preservar o grande legado que lhes foi deixado, mas sempre atenta à necessidade de se modernizar, aperfeiçoar, ir além. Assim como o seu fundador, esta família tem um desejo vanguardista, trabalha com paixão e com o compromisso de corresponder aos padrões de exigência que os consumidores dela esperam. O que perdura no tempo são os valores desta família. Como costumam dizer, a sua verdadeira identidade está na enorme paixão pela arte de fazer vinho e na perseverança, no desejo de criar algo novo, sem tirar os olhos do passado. A oitava geração inspira a empresa a ir mais longe, numa constante evolução e numa filosofia de constante inovação, pelo que não se acomodam pelas glórias já conquistadas, de modo que cada geração imprime o seu contributo no enredo desta notável história.

DSC_0379 (2)

Alguns dos factores que contribuíram fortemente para o seu sucesso e para a sua incessante capacidade de renovação ao longo desses quase dois séculos de história, foram a flexibilidade para atender os novos anseios do mercado (reflexo dos novos mercados em que actua e dos novos tempos), bem como o investimento em recursos humanos e em tecnologia (investe em suportes de investigação e de produção, associando as mais modernas técnicas ao saber tradicional).

Adega José de Sousa – Adega dos potes

Em Reguengos de Monsaraz, Alentejo, encontramos a Adega José de Sousa Rosado Fernandes, onde a tradição romana de fermentar em ânforas (potes de barro) se alia à última tecnologia. É neste cenário que encontramos a combinação entre o tradicional e o moderno. Na sua visitação podemos conhecer uma adega tradicional – abaixo do nível do solo, com 114 ânforas e 2 lagares para a pisa, que mantém utiliza um método de fermentação ancestral e raríssimo, mantendo viva uma tradição que remonta o tempo dos romanos com mais de 2000 anos- e uma adega moderna – com 44 tanques de inox e toda tecnologia imprescindível para a vinificação de tintos e brancos.

A José Maria da Fonseca lançou recentemente no mercado nacional o Ripanço 2013, um vinho Alentejano, proveniente desta adega, que utiliza uma técnica ancestral, o ripanço. Esta técnica, que remonta aos tempos romanos, tradicionalmente utilizada no Sul de Portugal para desengace manual das uvas, consiste no desengaçamento das uvas à mão com o auxílio de uma mesa própria, chamada mesa de ripanço, constituída por diversas ripas de madeira, de modo que os taninos duros do engaço não são extraídos, resultando num vinho mais suave e macio, com maior elegância. A união entre tradição e tecnologia é a combinação exacta entre o antigo e o novo, o que faz do Ripanço um vinho moderno e exclusivo, a cara da Adega José de Sousa.

O Ripanço 2013 combina Syrah (48%), Aragonês (32%) e Alicante Bouschet (20%), tendo 6 meses de envelhecimento em madeira nova de carvalho francês e americano é a companhia ideal para pratos de carnes vermelhas ou queijos. Notas de Prova: Cor: Rubi carregado; Aroma: Frutado, cassis, café, mirtilo, framboesa, baunilha; Paladar: Suave, equilibrado, boa acidez, taninos maduros; Final de Prova: Médio; Vinificação: Fermentação ocorre em cubas de inox a uma temperatura de 28ºC e Envelhecimento: 6 meses em madeira nova de carvalho francês e americano.

 

Casa Museu

Ao visitar a casa museu poderá ver de perto o berço desta história de sucesso. Ficará a conhecer detalhes da sua trajectória, poderá ver um exemplar dos primeiros maquinários utilizado no engarrafamento dos seus vinhos, um acervo pessoal repleto de importantes premiações (a primeira e muito significativa foi a medalha de ouro na Exposição Universal de Paris em 1855), bem como poderá conhecer mais sobre o vinho de mesa mais antigo de Portugal, o Periquita. Isto é, ficará a conhecer a essência de uma família com quase 200 anos de tradição na actividade vinícola.

O recuo na sua história até a origem dos seus primeiros vinhos é uma experiência enriquecedora. O percurso inicia-se com uma breve explicação sobre a história da empresa, seguindo-se a visita às antigas adegas: a adega da Mata e a Adega dos Teares Novos, onde estagia, entre outros, o vinho Periquita; e a Adega dos Teares Velhos, onde repousam os mais antigos Moscatéis de Setúbal (alguns com mais de 100 anos). No final desta visita guiada, o visitante poderá desfrutar de alguns dos vinhos produzidos pela casa.

Se tiverem interesse numa experiência mais completa, poderão, mediante marcação prévia, desfrutar de uma prova de vinhos especial, combinando vinhos com alguns pratos da gastronomia local.

Na casa museu há ainda uma wine shop onde encontrará os vinhos à venda com preços mais atractivos e alguns produtos regionais gourmet.

A José Maria da Fonseca ainda dispõe de vários espaços característicos e relacionados com o vinho totalmente equipados para a realização de encontros profissionais ou ocasiões festivas.

Contactos:
Quinta da Bassaqueira – Estrada Nacional 10, 2925-542 Vila Nogueira de Azeitão, Setúbal, Portugal.
351 212 197 500
Assinatura Natália