Nessas andanças pelo mundo dos vinhos nos deparamos com muitos projectos grandiosos, mas um em especial nos chamou atenção quer pela sua nobre missão quer pela paixão que os profissionais envolvidos exalam. A PORVID – Associação Portuguesa para a Diversidade da Videira tem desenvolvido um trabalho muito interessante e de grande valor para o sector dos vinhos. Esta associação visa gerar conhecimento sobre as castas de videira portuguesas, criando valor e sustentabilidade a partir das variedades autóctones.

Dentre os trabalhos ali desenvolvidos, destacamos as pesquisas sobre selecção e erosão genética que visam preservar a grande diversidade de videiras que encontramos no território português, descobrindo novas castas e encontrando variedades intra varietais que sejam mais adequadas às necessidades das vinícolas, de modo que possamos organizar o cultivo das videiras, seleccionando os clones conforme as características que pretendemos para desenhar os diferentes tipos de vinhos.

A selecção genética nos dá a possibilidade de selecionarmos e plantarmos os clones que tenham as características que pretendemos: um maior rendimento, um maior teor de açúcar, uma maior capacidade tintureira ou a percepção de certos aromas, por exemplo. O que permite melhorias na vitivinicultura e  impacta positivamente a rentabilidade das vinícolas que apostam nesta estratégia.

Já o combate à erosão genética representa um grande valor comercial para o país, na medida em que conseguimos preservar as castas autóctones e descobrir outras tantas. Portugal apresenta uma enorme variedade de castas autóctones, perde apenas para Itália, são mais de 250 castas catalogadas e a PORVID já identificou 10 novas castas que serão divulgadas ao público nos próximos anos, o que nos permite explorar o valor comercial destas novas descobertas, quer por sermos os únicos a produzirmos vinhos a partir de certas variedades ou pela possibilidade de comercializarmos e implementarmos o seu cultivo em outros países. Quanto maior for o nosso acervo, maior serão as nossas possibilidades de nos posicionarmos com distinção no competitivo mercado internacional de vinhos.

Vale salientar que A PORVID tem desenvolvido estudos únicos no mundo, o que dá visibilidade ao nosso país e permite nos posicionarmos bem no mercado mundial. Quem tem o privilégio de conhecer o Professor Antero Martins, um dos rostos mais conhecidos deste projecto, percebe a importância desse trabalho em poucos minutos de conversa e se sensibiliza para as questões ali estudadas. Segundo ele, a PORVID tem desenvolvido pesquisas sobre  selecção genética e preservação das videiras silvestres que nem mesmo no seio da OIV – Organização Internacional da vinha e do Vinho encontramos, pelo que devemos passar a palavra e sensibilizar a população para esta perda de diversidade.

Assim, deixamos aqui o convite aos que tiverem interesse e oportunidade para visitarem o Pólo Experimental Central para a Conservação da Variabilidade das Videiras Autóctones situado em Pegões no concelho de Palmela  para  conferirem de perto este projecto.

Fotografias: PORVID
Assinatura Natália