Natália Andrade

Apaixonada por vinhos, acredito que as coisas boas da vida devem ser brindadas. Encontre aqui dicas do que há de melhor no mundo da vitivinicultura.

Siga-nos
Newsletter

Instagram Feed
@winelicious_
Wine Tasting Notes
Recent Posts

Saint-Émilion

Saint-Émilion

Saint-Émilion é uma vila francesa com mais de 13 séculos de história, sendo um verdadeiro museu a céu aberto. Segundo a lenda, esta pequena vila foi fundada no século VIII por um eremita chamado Émilion que se refugiara numa pequena gruta em Ascubas – antigo nome dado à região. Apenas no século XIX o vinho se torna o principal produto da região, de modo que Saint-Émilion pouco a pouco começa a ficar famosa internacionalmente pelas suas vinhas e bons vinhos. No ano de 1999, suas vinhas entraram como paisagem cultural na lista de Património Mundial da Humanidade, sendo o primeiro vinhedo no mundo a receber esta distinção pela UNESCO.

A visita é imperdível para quem estiver na região de Bordeaux! Como esta é uma vila medieval, apesar dos vários pontos históricos a serem explorados, conseguimos visitá-la a pé em 1 dia (há quem consiga fazer em apenas um turno).  Os acessos são fáceis podendo fazer por comboio, autocarro ou carro – este último recomendamos aos entusiastas do vinho que queiram visitar os Châteaux mais distantes).

Como principais monumentos ressaltamos:

  • A Igreja Monolítica e a Torre do Sino (depois de subir 196 degraus será recompensado com uma vista panorâmica incrível e única da vila e dos vinhedos que a circundam  – este é o ponto mais alto de Saint-Émilion)

 

  • A Igreja Colegial e seu Claustro

 

  • A porta e a casa de Cadène (a última casa de madeira ainda presente na vila, sua fachada data do século XVI)

 

  • A Torre do Rei

  • Convento das Irmãs Ursulinas
  • Claustro de Cordeliers
  • O Palácio Cardinal
  • A Porta Brunet
  • A Grande Muralha (É o que ainda resta do mosteiro medieval Dominicano edificado no século XIII aos pés da vila de Saint-Émilion. Durante a Guerra dos 100 Anos os monges dominicanos, por falta de segurança, tiveram que abandonar o mosteiro e igreja adjacente, de forma que o mosteiro foi voluntariamente destruído, tendo sido mantida somente esta imponente parcela como testemunho histórico. Esta bela ruína ficou conhecida como a Grande Muralha e hoje pertence ao château que leva o mesmo nome)

 

As vinhas estendem-se por mais de 7.800 hectares e contam com mais de 800 casas produtoras. Na região, existem 12 diferentes tipos de apelações vitícolas, sendo a Saint-Émilion Grand Cru a mais conhecida. As castas mais cultivadas nesta região são a Cabernet Sauvignon, a Cabernet Franc e a Merlot, que dão origem aos seus célebres vinhos tintos encorpados.

Quem tiver oportunidade não deixe de visitar este pequeno paraíso de Baco.

 

Natália Andrade
blog.winelicious@gmail.com